Selecione seu Estado São Paulo
Sábado, 16 de Novembro de 2019


E-mail:
Senha:
Cadastre-se Login
Acessando.... Erro ao acessar. Esqueceu sua senha?

Claudio Lottenberg, presidente da UnitedHealth Group Brasil, perde poder

Fonte: Blog do Corretor Data: 06 setembro 2019 Nenhum comentário
Dona da Amil fecha empresa de tecnologia

Por Beth Koike | De São Paulo

A americana UnitedHealthcare, dona da operadora Amil, vai encerrar as atividades da unidade brasileira da Optum, empresa de tecnologia especializada em saúde. A medida faz parte da reestruturação por qual vem passando a companhia no país, segundo o Valor apurou.

O grupo UnitedHealth tem três frentes de negócios no Brasil: operadora de convênios médico e dental, hospitais e plataforma tecnológica.

Ainda segundo fontes ouvidas pela reportagem, o médico José Carlos Magalhães, responsável pela operação da UnitedHealth no Chile, está voltando para o Brasil para ocupar um cargo no alto escalão da companhia. Isso ocorre no momento em que Claudio Lottenberg, presidente da UnitedHealth Group Brasil, perde poder.  A reestruturação da unidade brasileira está sendo liderada por Molly Joseph, CEO global do grupo americano. O processo envolve mais de 300 demissões, inclusive de integrantes da diretoria corporativa.

Magalhães conhece profundamente a área de hospitais, mas tem menos experiência com planos de saúde. É considerado um executivo de confiança de Molly, que está buscando profissionais com conhecimento do mercado brasileiro de saúde, de acordo com fontes do setor.

O médico era muito próximo do fundador da Amil, Edson Bueno, e está há mais de 40 anos na empresa. Magalhães deixou o Brasil em 2013 para tocar os hospitais adquiridos pela Amil em Portugal e em 2018 mudou-se para o Chile, após a UnitedHealth ter comprado a Banmédica, operadora de plano de saúde verticalizada com presença também no Peru e na Colômbia.

Procurado, o UnitedHealth Group Brasil afirmou, por meio de nota, que não comenta especulações ou rumores de mercado.

Ao contrário dos EUA, no Brasil a plataforma Optum não deslanchou devido, principalmente, à desconfiança de operadoras e hospitais. Os potenciais clientes têm receio de fornecer seus dados a uma empresa de um grupo com negócios concorrentes - a Amil e a rede hospitalar Américas.

Em seu país de origem, a Optum presta serviços a rivais da UnitedHealth e também a programas públicos voltados para baixa renda e idosos (Medicare e Medicaid). A rentabilidade do negócio de tecnologia é maior que a de seguro saúde. Em 2018, a Optum teve receita líquida de US$ 101 bilhões e lucro operacional de US$ 8,2 bilhões. Já a seguradora registrou receita de US$ 183, 4 bilhões, para um lucro de US$ 9,1 bilhões. No Brasil, a Amil teve um faturamento líquido de R$ 21 bilhões, mas esse valor não inclui os hospitais e a Optum.

 

Para participar e deixar sua opinião, clique aqui e faça login.

 

Últimas