Selecione seu Estado São Paulo
Segunda-Feira, 22 de Outubro de 2018


E-mail:
Senha:
Cadastre-se Login
Acessando.... Erro ao acessar. Esqueceu sua senha?

Cinco motivos para se exercitar

Fonte: Diário de Pernambuco Data: 15 janeiro 2018 Nenhum comentário

 

1 - Vencer desafios

Conhecer os limites do corpo e treinar para superar os obstáculos a partir disso. É a proposta do Le Parkour, uma atividade desenvolvida na França para levar às ruas as técnicas de salvamento e resgate usadas em treinos militares, que chegou ao Brasil nos 2000. É mais conhecida pelos vídeos radicais nos quais os praticantes saltam entre edifícios, mas não se resume a isso, garante o instrutor Jeff Thiago, que dá aulas gratuitas da modalidade todos os sábados no Parque da Jaqueira, próximo à pista de skate. 
"O parkour envolve você descobrir o tamanho da sua impulsão, a resistência física. É usar os movimentos com técnica e eficiência. Você desenvolve coordenação motora, por exemplo. Tem muita gente treinando para ganhar força nas pernas", afirma. Aos interessados, Jeff conta que basta ter um tênis confortável, coragem e disposição. A idade mínima recomendada para treinar é oito anos. O estudante Alejandro Estevan, 18, começou a fazer atividades físicas por causa do parkour. “Você aprende a controlar seu corpo para superar os limites”, garante.

 

2 - Cuidar das dores da mente

 

A doméstica Iracema Soares, 64, convive com a depressão há quatro anos. Tem diabetes. Soma três cateterismos e um recente internamento de um mês e cinco dias. Mas nada disso é razão para não se mexer. Três vezes por semana, ela esbanja um sorriso contagiante. Iracema faz questão de vencer as limitações porque encontrou a felicidade nas práticas integrativas.
A depressão é a maior causa de incapacitação no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). A prática de exercícios físicos reduz em até 30% o risco de desenvolver a doença e podem atenuar também os impactos dela. Quando foi diagnosticada, Iracema recebeu a recomendação de buscar a Unidade de Cuidados Integrados à Saúde Guilherme Abath. Ela começou a fazer dança percussiva, prática que enxerga o corpo como instrumento, e também tai chi chuan. “Tudo o que acontece em casa esqueço quando chego aqui. Se eu passei a noite chorando, descarrego aqui”, conta Iracema.
O UCIS Guilherme Abath e o Serviço Integrado de Saúde são lugares onde o recifense tem acesso gratuito a práticas como dança, artes marciais chinesas e pilates.

 

 

3 - Fazer amigos 

 

Se evitar as doenças crônicas não for motivo suficiente para deixar a preguiça de lado, o autônomo Paulo Souza, 48 anos, dá uma ajuda. Praticar exercícios aumenta o poder de sociabilidade, garante. Há cerca de um ano e sete meses, ele era uma pessoa introvertida e sedentária. Se inscreveu no projeto Hapvida +1K e agora é um homem novo. Saiu das caminhadas esporádicas para corridas de até 10 quilômetros.
Paulo sempre buscava desculpas. Nem o histórico de diabetes na família servia de impulso para praticar alguma atividade física. A decisão de participar de um grupo de corrida foi motivada por romper a timidez. “Fiz muitas amizades e comecei a mudar meu estilo de vida”, diz. Como um efeito em cadeia, Paulo passou a treinar três vezes por semana, em alguns meses começou a participar de competições e já acumula 24 medalhas.
O Hapvida 1K é uma assessoria gratuita para treinos de corrida e caminhada. As aulas acontecem em seis polos. Cada turma tem até 100 alunos. O critério para participar é não faltar mais de três vezes sem justificativa e apresentar os exames médicos. Não precisa ser vinculado ao plano de saúde. “De acordo com o nível de condicionamento de cada um, fazemos as adaptações”, explicou o coordenador do programa, Jailton Santos.

 

 

4 - Explorar as áreas públicas 

 

O Recife tem 660 espaços públicos. Em seus 94 bairros, a cidade esconde diversos praças, parques e equipamentos aptos à prática de atividades físicas. Só de Academias Recife para musculação são 14, a última delas inaugurada em Beberibe, no começo do mês. De Academias da Cidade são 42, com 160 profissionais para realizar avaliação física e orientação nutricional. Há um verdadeiro arsenal de opções esperando para ser desbravado, como descobriu a procuradora Iane de Sá Ferreira, 43 anos.
Praticante de tênis há um mês, ela estava refém de uma viagem de 20km para treinar em uma quadra de um condomínio particular. Na última semana, descobriu que o Parque Santana, perto da própria casa, dispõe de um espaço para a prática, sem necessidade de agendamento. “Foi ótimo chegar e usar. O ideal seria também disponibilizarem profissionais para que mais gente pudesse praticar o esporte”, sugere.
Outra cidade do Grande Recife também dispõe de equipamentos. Olinda tem 12 academias do bairro, com educadores físicos à disposição, e também cinco Academias da Saúde, onde há nutricionistas e a população pode fazer exames de pressão e glicose.
 
5 - Ajudar a coletividade 
Democratizar o acesso ao pilates e à ioga, práticas que geralmente têm um custo alto nos estúdios do Recife, fazendo um convite à solidariedade. A ideia é de quatro amigas fisioterapeutas, que uma vez por mês vão para algum parque ou praça da cidade, montam os tapetes no chão e convidam desconhecidos a movimentar o corpo. Em troca, o projeto Pilates e Yoga para Todos só pede doações que são encaminhadas a lares de idosos e pessoas em situação de vulnerabilidade. “A gente quer que as pessoas conheçam os benefícios das práticas e também se movimentem”, explica uma das criadoras, a fisioterapeuta Damyeska Alves.
As aulas são divulgadas na página do grupo no Facebook, com um mês de antecedência, e geralmente acontecem nos parques da Jaqueira ou Dona Lindu. A arquiteta e urbanista Morena Antunes, 39, começou a participar há cerca de dois anos. “A ideia de ocupar os espaços públicos sempre me agradou. E dessa maneira, interagindo com diversas classes sociais, formas de pensar, de se cuidar e cuidar do outro, me atraiu. Encontrei no Pilates uma atividade que é a minha cara”, explica. A ideia do projeto é ir também para outros parques e praças, o que dependerá da demanda.  
 

Para participar e deixar sua opinião, clique aqui e faça login.

 

Últimas